sábado, 14 de novembro de 2009

Profudamente Filho da Joana

dedicatória--*Emergência*-- à Mario Quintana.

Revolta? Não. Preso? Sim, n'uma cela
...........ainda profundamente.
Abriste a janela Quintana, fui salvo, e contraditório...
Afoguei-me por ela.

Mas não respirei diferente...

Um comentário:

Karlinha disse...

Bela dedicatória..
Mário pra sempre merecedor^^

e vc sempre POETA.

Poeta Bom... bom poeta!

Poeta não é aquele que tira as palavras da alma, mas sim que coloca alma em suas palavras!

*__*