sábado, 6 de agosto de 2011

Outro LETRA LIVRE

31 de julho de 2011, dia de sarau, dia de encontro. Foi assim que sai de casa apressado, com uma baita dor de barriga. Fim de semana não é fácil, ônibus só de uma em uma hora. Faltava vinte pras sete. Correndo cheguei a casa do meu amigo Diego (Doug) que fazendo poesia andava pelos cômodos tagarelendo sem parar. Conversando com a família, Anna (parceira de uísque) também estava lá. Atencioso, esqueci de ir ao banheiro. Comida quase pronta, conversa, comida na mesa, prosa, conversa, diálogo, comunicação, e agora saímos. No ponto, uns passageiros esperavam. Sinal de que o transporte ainda não tinha passado...
apenas futuro: daqui uns dias, olha só, a frota terá mais noventa ônibus disponíveis com cor escolhida pelos usuários que disputam assentos, vagas entre si, superlotação todo dia, e já se acostumaram com o preço abusivo da passagem?! Chegamos em Goiânia, como um resumão de mais ou menos meia hora (isso sem esquecer do violão, das palmas, e das gargalhadas que viajavam no eixão). Maldito PÃO E CIRCO! Depois da poesia, ainda haverá TEATROo?!

No sarau, começamos a ler e a ouvir... a aprender... a observar:

























OBS: sofro de flatulência...

Um comentário:

FSB disse...

Bom que dá para a galera que não participou poder ver o que rolou. Começarei a assistir.