segunda-feira, 28 de março de 2011

DATADO DE 1988

(Por Ivan Silva)

O sistema é magnético. Seja no governo ou na política!
O fato é que: aqueles que fogem desse tipo de sistema,
se não é o mesmo em todos os casos, acabam fazendo
dele um feminino, um ideal. Mas um ideal alcançável. Nojento,
ou, na maioria dos casos, bastante usado, rodado: sabe
disso aquele que já alcançou... Acontece que, nesse caso,
aquele que já alcançou, se aprecia: acha que é de ferro e tem
que agüentar suportar, até as útlimas conseqüências.
Brincando de "Vivo! morto... morto... vivo!" Se rejeita:
acha
que a vida é bela e deve ser aproveitada ao máximo,
(agora, e na hora de nossa morte!) mas ainda com essa consideração
de ideal alcançável. Se envolvendo com o sistema de uma forma
engajada,
arriscada. De uma forma não desgovernada--forma essa
política!--e morre jovem, quase
ultra-romancista!...
Mas luta por uma causa: abrindo as portas
rangentes do realismo.
É aí então que, para aqueles que se sentem romancistas e até mesmo
já popularizados, surge uma nova geração, um novo movimento:
o Marcólico. Uma mistura entre bucólico e marginal.

3 comentários:

MOLHO LIVRE disse...

Marcólicooooooo

Priscila Faria disse...

Por detalhes..

Sarah El Khouri disse...

Muito bom! Adorei essa parte:

Brincando de "Vivo! morto... morto... vivo!" Se rejeita:
acha que a vida é bela e deve ser aproveitada ao máximo,
(agora, e na hora de nossa morte!) mas ainda com essa consideração
de ideal alcançável. Se envolvendo com o sistema de uma forma
engajada, arriscada. De uma forma não desgovernada--forma essa
política!--e morre jovem, quase ultra-romancista!